Bem-vindos à rubrica A Dica Verde! Esta rubrica foi criada com o intuito de ser uma ferramenta para apresentar alternativas que eu conheço, experimento e adoro, de modo a recomendar e sugerir opções que vocês, leitores, podem e devem explorar! No que toca à sustentabilidade (e também saúde!), muitas vezes não sabemos quais os primeiros passos a dar e que produtos ou itens são realmente bons e úteis. Pois este blog está aqui para vos ajudar um pouco nessa tarefa, sendo que tudo o que aqui apresente, com parcerias ou não, é aconselhado porque uso e gosto verdadeiramente, e por ser simples e acessível. Não é do meu interesse sugerir coisas que sejam supérfluas e, consequentemente, desperdício. Contudo, chamo à atenção de que todos somos diferentes e que certos produtos, por funcionarem bem comigo, não significa que funcionem com toda a gente, e as minhas necessidades podem não ser as mesmas de outros. Mas que vale muito a pena investir e experimentar, vale! Também eu passei por muita tentativa-erro até conseguir encontrar produtos que sejam adequados a mim, e que goste. Uma vez que fiz esse trabalho, venho partilha-lo convosco!

Hoje venho falar-vos do champô sólido. Apesar de poder ser um produto estranho e desconhecido para muita gente, ele não é assim tão novidade! Não é nada mais, nada menos, do que um sabonete para o cabelo! Para homens, mulheres, crianças e toda a família!

Exemplo de um champô sólido. Fonte: Plume Organic

Porquê Sólido Em Vez de Líquido?

Não preciso de perder muito tempo a esclarecer-vos isto porque parece-me bastante claro. Escolher champô líquido implica escolher um champô que vem embalado, geralmente em plástico. A quantidade de plástico que provém de produtos cosméticos é absolutamente ridícula! Eu bem me apercebi disso partilhando a casa de banho com mais 4 pessoas! Era frasco de champô diferente para cada tipo de cabelo, era gel de banho, era condicionador para cada tipo de cabelo, era máscara para cada tipo de cabelo, era exfoliante de corpo, era exfoliante de rosto, era gel de limpeza da cara, era gel íntimo, era creme hidratante de rosto, era creme hidratante de corpo… Uff! Assustador! Mas e se pudéssemos reduzir drasticamente tudo isto? Tanto na quantidade de produtos que usamos para pormenores, como no tipo de produtos que usamos? Seria literalmente life changing para o ambiente, life changing para nós e para a nossa saúde, bem como para a organização dos nossos armários, chuveiros e nécessaires… Pouparíamos tanto espaço! Quem não ama as coisas limpas e organizadas? É possível gente! Basta redefinirmos as prioridades e não nos deixarmos enganar pela publicidade que, tanto nos fazem pensar que necessitamos de mil produtos, como nos fazem pensar que aquele produto vai resolver tudo e ser perfeito! Simplifica!

Já para não falar da quantidade de químicos que poderíamos poupar ao nosso corpo e organismo se mudássemos para opções mais naturais! Os champôs tradicionais estão carregados de parabenos, sulfatos, silicones e outras porcarias que nos dão a sensação de cabelo aparentemente suave, mas que na verdade fazem mais mal que bem. A meu ver, para o ambiente e para a saúde, devemos priorizar produtos que sejam o mais limpos possível, tanto na sua produção, (desde os ingredientes que contêm, à forma como são feitos), como no seu embalamento e transporte.

Em relação a valores, é difícil comparar champôs convencionais de supermercado com champôs sólidos e chegar a um vencedor, pois esse resultado depende muito do bolso, do tipo e comprimento do cabelo da pessoa que o usa, do número de vezes que a pessoa lava o cabelo, etc… Ainda assim, posso afirmar, comparando aos produtos vulgares que outrora usei, tendo eu o cabelo farto e comprido, e lavando todos os dias, que os produtos sólidos, no geral, duram muito mais tempo que os champôs líquidos. Comigo, um champô líquido normal de supermercado, de cerca de 250 ml, não durava sequer 1 mês, enquanto que um champô sólido dura em média, 3 meses.

Exemplo de factores que influenciam o preço final de um champô sólido. Fonte: Mind the Trash

Poupo dinheiro, poupo plástico, poupo espaço, poupo o ambiente, e poupo o meu cabelo de ingredientes agressivos!

champô sólido vs champô embalado. Fonte: @shopwithgoodintent instagram

E que marca escolher?

Excelente pergunta!

Penso que a marca pioneira neste produto foi a Lush. Mas hoje em dia já existem cada vez mais marcas disponíveis para o público. No entanto, falando por muita experiência própria, há champôs e champôs! E muitos (mas mesmo MUITOS), que simplesmente não funcionaram… Já lá vão muitos anos desde que experimentei um champô sólido pela primeira vez e o resultado foi assustador: cabelo tão seco que ainda molhado já parecia palha de aço e mal o conseguia pentear. Parecia uma autêntica vassoura, não vos vou mentir. E entretanto já me deparei com outros resultados desapontantes: cabelo tão pesado que os meus caracóis nem formavam!

Mas, apesar disso, não desisti. Ali tinha começado a minha busca (que quase foi infinita) por um bom champô sólido, que preenchesse todos os requisitos. Não que eu pedisse muito: um produto que limpasse bem o cabelo, o deixasse suave e brilhante, e cheiroso! Adicionalmente comecei por procurar um condicionador sólido para que, aliado ao champô, se desse a combinação perfeita para o meu cabelo. Nem toda a gente considera um amaciador necessário para a sua rotina. Também eu não considerava! Mas mudei de ideias à medida que entendia as minhas necessidades.

O quê que eu procuro numa marca de produtos cosméticos no geral? Têm de ser vegan, cruelty-free (livres de testes em animais), sem plástico, com ingredientes provenientes de agricultura biológica, sem químicos tóxicos, isentos de fragrâncias sintéticas, com uma boa duração em termos de lavagens, e produzidos preferencialmente de forma artesanal e em Portugal ou Europa.

Eis algumas marcas que me atraíram e que já experimentei, e respectivos pesos e valores (em cada marca há champôs para cada tipo de cabelo):

Nem todas funcionaram comigo a 100% mas são, todas elas, marcas que eu admiro! As três últimas foram, sem dúvida, as marcas de produtos que me conquistaram! Gostei mesmo muito do resultado de imediato, e ainda mais após meses de uso. Se há algo que valorizo, para além das características acima mencionadas, é o trabalho, empenho e valores por detrás de quem fabrica os produtos. Tanto a Mind the Trash, como a Unii, e a Plume Organic, são transparentes quando à produção e criação, e as suas histórias são de admirar e enaltecer.

A Mind the Trash nasceu em 2017, com o amor da Catarina e do Christian pela sustentabilidade e desejo de um mundo melhor. A equipa entretanto cresceu e conta também com dois membros de 4 patas, o Bali e a Sally!

Mind The Trash é um blog e loja de vendas online portuguesa de produtos alternativos aos produtos de plástico e não naturais que actualmente existem no mercado. A loja online surgiu por se não encontrar, no mercado português, alternativas sustentáveis de cosmética e artigos para a casa, livres de plástico. Quiseram ser online para que toda a gente, onde quer que morasse, pudesse ter acesso aos produtos. Desde Dezembro que utilizam papel de acondicionamento reutilizado no emabalamento e, recentemente, começaram a trabalhar na zona de Lisboa com um estafeta de bicicleta para minimizar a pegada nas entregas. Adoro mesmo a filosofia e o trabalho da equipa Mind the Trash, e os seus produtos são dos meus favoritos de sempre!

Descobre mais em https://mindthetrash.pt/sobre-nos/


A Unii resulta da união de duas irmãs, a Cátia e a Rita, com vontade de mudar a forma como compramos e consumimos produtos de cosmética.

Foi fundada em 2009, em Lisboa, a Organii, a primeira loja de cosmética biológica em Portugal. Em 2016 começaram a delinear este novo projeto a que chamam Unii – Organic Skin Food. O objetivo é oferecer a mais pura linha de produtos cosméticos que existia. Pura nos ingredientes e pura nas intenções. Fazem tudo de raiz na sua pequena fábrica, o que lhes permite ter o controle sobre cada pequeno passo da produção.

Alguns dos meus produtos preferidos são os óleos vegetais, os sabonetes e o champô para escalpes sensíveis.

Descobre mais em https://uniiorganic.com/sobrenos/


A Plume nasceu pelas mãos e paixão da Ana. Formou-se em herbalismo e cosmética natural, e iniciou a sua criação de produtos com o lema, Light on nature, Natural on you. Surge assim a PLUME, uma marca de produtos 100% naturais, à base de plantas, vegan, cruelty-free e com uma grande preocupação ambiental, cuja utilização de todos os ingredientes e produtos requer uma seleção, cuidado e noções de sustentabilidade rigorosas. Assim sendo, compromete-se a oferecer o melhor cuidado do corpo, cabelo e casa através de produtos naturais e com o melhor que a natureza tem para lhe dar.

Faz cerca de 1 mês que estou a usar o champô de peónia e flor de laranjeira, e o condicionador de bergamota e alecrim e não podia estar mais satisfeita. Acalmou muito o meu couro cabeludo e devolveu a vida aos meus caracóis.

Descobre mais em https://plumeorganic.com/pt-pt/blogs/plume-news/welcome-to-plume-founder-s-note


Nem todas as marcas irão funcionar para toda a gente porque somos todos diferentes mas essa é mesmo a beleza da coisa! A parte boa é que cada vez existem mais opções para o consumidor (e muito boas e sustentáveis opções!!), principalmente feitas artesanalmente por mãos muito habilidosas e cuidadosas de pessoas amorosas! No entanto, começam a aparecer agora estes produtos fabricados pelas grandes empresas e já presentes em supermercados, como é o caso da Garnier. O que não é mau, pois significa que os produtos sólidos estão mais visíveis e ao alcance de mais pessoas e são alvo de atenção! Contudo, não podemos esquecer dos verdadeiros interesses dos gigantes: dinheiro e expansão. E geralmente isto não está em sintonia com a sustentabilidade de forma harmoniosa. Apoiemos o que é nosso porque é, de facto, maravilhoso e de admirar!

Ainda existem algumas marcas que me chamaram à atenção, mas que ainda não experimentei, uma vez que, entretanto, já encontrei opções que me satisfazem, para já. Alguns exemplos que podem ser igualmente bons são a Shaeco, a Musa Natural Cosmetics, a Greensense, a Naua, a Água Mole, e a Mirene… São, todas elas, marcas lindas, criadas por pessoas trabalhadoras e amorosas, que tinha de partilhar pois dão-me muita vontade de comprar e apoiar!

Outra nota que quero e devo acrescentar é que, o nosso cabelo, mesmo sendo de um só tipo naturalmente (loiro, moreno ou ruivo, com caracóis ou liso…etc), ele passa por várias fases ao longo da vida, e ele é sensível a vários factores, como o clima, a poluição, o stress, a ansiedade, a alimentação, as hormonas, entre outros… Por isso é normal que passe por momentos em que está diferente no seu aspecto, ou com o couro cabeludo sensível, a escamar ou irritado, ou até com queda… Daí talvez ser necessário mudar ao longo da nossa vida. E está tudo bem! Ainda bem que há opções e milhões de plantas que nos ajudam para cada efeito! 

Como aplicar produtos sólidos no cabelo?

Preparei este vídeo que irá esclarecer o uso de champô e condicionador sólidos:

Como Aplicar Produtos Sólidos no Cabelo. H.EART.H Blog YouTube

Estamos juntos por um mundo melhor!

Obrigada por leres e considerares novas opções!

Até breve!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Digite acima o seu termo de pesquisa e prima Enter para pesquisar. Prima ESC para cancelar.

Voltar ao topo