Sempre me senti desconfortável com tudo o que envolva químicos tóxicos, medicamentos, substâncias nocivas, aditivos, etc… No geral, tudo o que prejudique e intoxique o corpo e a mente e que provoque efeitos secundários agressivos. A minha descoberta pelo mundo natural começou essencialmente pela alimentação, ao optar por uma dieta à base de plantas mas rapidamente, à medida de ia lendo, estudando, investigando, ia me apercebendo que podia evoluir mais e cuidar melhor de mim e do ambiente que me rodeia. Daí, e por influência da minha mãe, acupuntora e formada em Medicina Tradicional Chinesa, Reiki e Reflexologia, abri-me cada vez mais para o mundo holístico e terapias alternativas (as chamadas não-convencionais). Na verdade, lembro-me bem de a Homeopatia ser uma das terapias a que os meus pais mais recorriam para me cuidar em criança. Hoje a que me identifico mais é sem dúvida a Fitoterapia, e a Aromaterapia.

Ainda não tive oportunidade de me formar em Fitoterapia ou Naturopatia, por ser um curso mais dispendioso e demorado e porque o processo de licenciaturas e regulamentação nestas áreas estar bastante dificultado, mais será um dos próximos passos! Para já, estudo e leio bastante por minha conta. Tive, sim, oportunidade de fazer o curso de Aromaterapia Cientifica entretanto, e não podia estar mais feliz por esta conquista! Aprendi bastante, pratiquei bastante e encontro-me de momento mais preparada para passar este conhecimento ao mundo e ajudar quem precisa e quem deseja cuidar e nutrir o corpo, mente e espirito duma forma mais natural e consciente, pois é precisamente isso que as terapias naturais defendem!

Este mundo tem muuuuuuuuito que se lhe diga! Não duvides! E não vou conseguir explicar-te tudo neste artigo… Contudo, espero poder trazer-te umas luzes e alguma informação que desejo estar aberto a receber. Por isso, sê bem-vindo!

Eis algumas das ferramentas/ciências e Terapias Não Convencionais que existem:

  • Naturopatia (regulamentada em ensino superior pela DGES)

De acordo com a legislação da Portaria n.º 207-A/2014, Diário da República n.º 194/2014, 1º Suplemento, Série I de 2014-10-08:

1 – A naturopatia é a terapêutica que estuda as propriedades e aplicações dos elementos naturais, a fim de prevenir a doença e manter, promover e restaurar a saúde, recorrendo ainda ao aconselhamento dietético naturopático e à orientação sobre estilos de vida e utilizando a fitoterapia, a homeopatia, a hidroterapia, a geoterapia, as terapias da manipulação e outros métodos afins.

2 – A naturopatia:

a) Consiste numa abordagem holística, energética e natural do ser humano, através de métodos de diagnóstico, prescrição e tratamentos próprios, assentes em axiomas e teorias específicas;

b) Recorre aos agentes físicos e métodos energéticos, com base nas filosofias ocidental e oriental, através dos quais diagnostica, trata e cuida dos pacientes, utilizando sistemas e práticas que se baseiam em tratamentos e cuidados de ação bio-psicofisiológica e higiénicos, que têm como objetivo reequilibrar as funções orgânicas e outras situações anormais existentes no organismo, proporcionando ao mesmo tempo as condições indispensáveis à manutenção e recuperação do seu equilíbrio, no total respeito pelas «leis naturais» que regulam as funções do corpo humano e pelas «leis naturopáticas» que devem regular a terapêutica e os cuidados de saúde de índole natural com vista a atingir a autocura.

  • Fitoterapia (regulamentada em ensino superior pela DGES)

De acordo com a legislação da Portaria n.º 207-A/2014, Diário da República n.º 194/2014, 1º Suplemento, Série I de 2014-10-08:

1 – A fitoterapia é a terapêutica que utiliza, como ingredientes terapêuticos, substâncias provenientes de plantas, e inclui a promoção da saúde, a prevenção da doença, o diagnóstico e o tratamento, abrangendo ainda o aconselhamento dietético e a orientação sobre estilos de vida.

2 – A fitoterapia é uma terapêutica:

a) Com uma conceção holística, energética e natural do ser humano, e métodos de diagnóstico, prescrição e tratamento próprios assentes em axiomas e teorias específicos;

b) Que utiliza como ingredientes terapêuticos plantas frescas ou secas, medicinais e alimentares, substâncias provenientes de plantas, nomeadamente óleos essenciais e florais, e os seus extratos e preparados que contêm partes de plantas ou combinações entre elas, para diferentes formas de utilização, incluindo a interna e a externa, e usa suplementos alimentares e dietéticos. As plantas ou as suas preparações podem ser produzidas para consumo imediato ou como base para suplementos alimentares e produtos vegetais, sujeitos à legislação aplicável a este tipo de suplementos e produtos.

  • Medicina Tradicional Chinesa (regulamentada em ensino superior pela DGES)

De acordo com a legislação da Portaria n.º 207-A/2014, Diário da República n.º 194/2014, 1º Suplemento, Série I de 2014-10-08:

1 – A medicina tradicional chinesa é a terapêutica que utiliza métodos de prevenção, diagnóstico, prescrição e tratamentos próprios, baseados nas teorias da medicina tradicional chinesa e nos seus métodos específicos, designadamente, na estimulação dos pontos de acupuntura e meridianos através de diferentes métodos terapêuticos, na prescrição de fórmulas fitoterapêuticas, aconselhamento alimentar e exercícios para promover e recuperar a saúde.

2 – A medicina tradicional chinesa é uma terapêutica:

a) Com uma conceção holística, energética e dialética do ser humano;

b) Que assenta em axiomas e teorias específicos da medicina tradicional chinesa;

c) Que aplica processos específicos de diagnóstico e terapêuticas próprias tendo por base as teorias da medicina tradicional chinesa;

d) Que investiga, desenvolve e implementa planos de tratamento utilizando a acupuntura, a fitoterapia, a massagem tuiná, a dietética da medicina tradicional chinesa, os exercícios de chi kung e tai chi terapêuticos e outros para melhorar e regular a função e tratar as «desarmonias energéticas» tais como são entendidas pela medicina tradicional chinesa.

  • Acupuntura (regulamentada em ensino superior pela DGES)

De acordo com a legislação da Portaria n.º 207-A/2014, Diário da República n.º 194/2014, 1º Suplemento, Série I de 2014-10-08:

1 – A acupuntura é a terapêutica que utiliza métodos de diagnóstico, prescrição e tratamentos próprios assentes em axiomas e teorias da acupuntura, utilizando a rede dos meridianos, pontos de acupuntura e zonas reflexológicas do organismo humano, com o fim de prevenir e tratar as desarmonias energéticas, físicas e psíquicas.

2 – A acupuntura:

a) É uma terapêutica com uma conceção holística, energética e dialética do ser humano;

b) Assenta numa filosofia e metodologia específicas baseadas na medicina tradicional chinesa;

c) Aplica processos específicos de diagnóstico e métodos terapêuticos próprios, tendo por base as teorias da medicina tradicional chinesa, para promover e recuperar a saúde e prevenir e tratar as doenças.

  • Homeopatia (regulamentada em ensino superior pela DGES)

De acordo com a legislação da Portaria n.º 207-A/2014, Diário da República n.º 194/2014, 1º Suplemento, Série I de 2014-10-08:

1 – A homeopatia é a terapêutica que utiliza, para prevenção e tratamento, medicamentos homeopáticos obtidos a partir de substâncias denominadas stocks ou matérias-primas homeopáticas, de acordo com um processo de fabrico descrito na Farmacopeia Europeia ou, na sua falta, em farmacopeia utilizada de modo oficial num Estado membro da União Europeia, e que pode conter vários princípios.

2 – Os princípios teóricos em que se baseia a homeopatia são, designadamente, a lei da semelhança, o princípio da duração da cura, o princípio do remédio único, a teoria da dose mínima infinitesimal e a teoria da doença crónica.

3 – A homeopatia trata as doenças com medicamentos que, numa pessoa saudável, produziriam sintomas semelhantes aos da doença.

4 – Em vez de combater a doença diretamente, os medicamentos homeopáticos têm por função estimular o corpo a lutar contra a doença.

5 – Os medicamentos homeopáticos baseiam-se no princípio de que diluições de moléculas potencialmente ativas retêm a «memória» da substância original.

6 – Com o fundamento de que o «semelhante cura o semelhante», a homeopatia utiliza uma abordagem holística para o diagnóstico e tratamento dos sintomas do paciente, incluindo na sua prática a orientação da dieta e dos estilos de vida segundo os parâmetros homeopáticos.

7 – Os medicamentos homeopáticos têm como princípio a indução de um processo de reorganização das funções vitais, estimulando o mecanismo de autorregulação.

  • Osteopatia (regulamentada em ensino superior pela DGES)

De acordo com a legislação da Portaria n.º 207-A/2014, Diário da República n.º 194/2014, 1º Suplemento, Série I de 2014-10-08:

1 – A osteopatia é a terapêutica que tem como objetivo diagnosticar diferencialmente, tratar e prevenir distúrbios neuro-músculo-esqueléticos e outras alterações relacionadas, utilizando uma variedade de técnicas manuais e outras afins necessárias ao bom desempenho osteopático para melhorar funções fisiológicas e ou a regulação da homeostase que pode estar alterada por disfunções somáticas, neuro-músculo-esqueléticas e elementos vasculares, linfáticos e neuronais relacionados.

2 – A osteopatia:

a) Tem uma abordagem sistémica dos cuidados prestados e baseia-se no conceito de que o ser humano é uma unidade funcional dinâmica, na qual todas as partes estão interligadas e possui mecanismos inerentes de autorregulação e autocura;

b) Respeita a relação entre as diferentes dimensões do ser humano na saúde e na doença;

c) Enfatiza a integridade estrutural e funcional do corpo humano e a sua capacidade intrínseca para a autocura;

d) Dá especial atenção à biomecânica do sistema neuro-músculo-esquelético e à sua relação com a fisiologia do organismo;

e) Tem como componentes essenciais da intervenção o diagnóstico estrutural, o tratamento manipulativo e outros necessários ao bom desempenho osteopático.

  • Quiropraxia (regulamentada em ensino superior pela DGES)

De acordo com a legislação da Portaria n.º 207-A/2014, Diário da República n.º 194/2014, 1º Suplemento, Série I de 2014-10-08:

1 – A quiropráxia é a terapêutica que se baseia no diagnóstico, tratamento e prevenção de distúrbios do sistema neuro-músculo-esquelético, principalmente a subluxação (no conceito da quiropráxia), bem como nos efeitos destes distúrbios no estado geral de saúde e no bem-estar do indivíduo.

2 – A quiropráxia:

a) Utiliza as capacidades inerentes e recuperadoras do corpo humano, e baseia-se na relação existente entre a estrutura vertebral e o funcionamento do sistema nervoso como fator de saúde relevante;

b) Respeita a relação entre as diferentes dimensões do ser humano na saúde e na doença;

c) Entende a subluxação como lesão ou disfunção em que o alinhamento, a integridade do movimento e ou a função se consideram alterados, embora o contacto das superfícies articulares esteja intacto, essencialmente como uma entidade funcional que pode influenciar a biomecânica e ter implicações neurológicas;

d) Confere grande importância às técnicas manuais, com ou sem a utilização de instrumentos, incluindo o ajustamento da subluxação (no conceito da quiropráxia) e ou a manipulação de articulações;

e) Não recorre a medicamentos nem a cirurgias, e valoriza os fatores bio-psico-sociais no tratamento da pessoa.

  • Aromaterapia

A aromaterapia é um dos princípios práticos da Fitoterapia e Naturopatia. É uma ciência terapêutica complementar que utiliza o poder curativo dos óleos essenciais para o tratamento de diversos distúrbios de ordem física, emocional, mental e energética.

Provavelmente já deves visto muita gente a vender óleos essenciais e a incentivar o seu uso, consumo e compra. É verdade que, com o aparecer de algumas empresas com esquemas de negócio em pirâmide, a ambição de vender, e sem grande critério por quem vende, umas vez que quem se torna revendedor não necessita, muitas vezes de ter bases, estudos ou experiência na área ou nos produtos, existe tendência para acontecerem mal entendidos, vendas desenfreadas, clientes insatisfeitos, e pior de tudo, consequências graves para a saúde de quem usa os produtos e pratica a terapia. Talvez por isso, a aromaterapia e óleos essenciais tenham começado a ficar com má reputação, principalmente relativos a algumas marcas no mercado. Contudo, pesquisando e dando oportunidade, facilmente conseguimos perceber a importância e o valor que esta terapia proporciona.

The results of the present study showed that the aromatherapy improves the common complications of cancer patients. Therefore, the aromatherapy treatment must be used with caution as an alternative and rapid treatment by patients and health personnel after consulting with aromatherapists. In order to better utilize the findings of this study, it is suggested to help patients to use the most effective prop- erties of odors, including the relaxing effect of aromas like lavender, through creation of appropriate structures, such as large odor sprea- ders, in the chemotherapy departments and performing aromatherapy with proper scents in appropriate periods of time in patients who are not sensitive to the used odors. In addition, periodic training of nurses and patients on the importance of aromatherapy as a useful low cost treatment is recommended along with other therapies to reduce the complications of cancer. As the first review study that comprehensively enrolled all relevant studies, its results can be an appropriate guide which provides useful information about the most commonly used methods and dosages.

Study: Effect of aromatherapy on cancer complications: A systematic review by Mansoureh Ashghali Farahania, Roghaiyeh Afsargharehbaghb, Fatemeh Marandic, T Mojgan Moradid, Seyed-Mehdi Hashemie,⁎, Mahdieh Poodineh Moghadamf, Abbas Balouchi

Os óleos essenciais e vegetais não são nada mais nada menos do que plantas! Apenas isso! Os óleos vegetais são macerados de plantas. Os óleos essenciais em particular, são basicamente a essência da planta, ou seja, em palavras do povo, a planta no seu estado mais concentrado e puro. Os óleos essenciais são 70 vezes mais concentrados do que a planta de onde foram extraídos. Existem várias formas de extrair a essência da planta e isso também é um factor muito importante, pois mediante a extração, pode alterar a composição do óleo a nível químico. Outros factores são também a origem, o modo de cultivo, etc… Por estas e muitas outras razões, é super importante para o terapeuta, paciente e consumidor, saber a composição química do óleo e portanto, confiar em óleos quimiotipados, bem como outras características.

Estes são alguns dos factores a ter em conta:

  • Devemos certificar-nos que a marca dos óleos é certificada por um entidade fiável;
  • Que são quimiotipados, ou seja possuam a especificação rigorosa do perfil químico da planta;
  • Que o óleo é 100% puro e não diluído noutros componentes;
  • Que não seja desnaturado com moléculas, agentes químicos ou óleos minerais;
  • Que não seja descolorado nem retificado, nem desterpenizado;
  • E que seja, de preferência biológico.

Para além de tudo isto, é essencial saber como funcionam as plantas e ter em mente que, apesar de serem naturais, possuem um grande poder. Neste caso, os óleos, ainda maior, por serem concentrados de plantas. Esse poder pode trazer efeitos maravilhosos e eficazes, mas também efeitos secundários, irritações ou toxicidade ao nosso organismo. Por causa disto é que é muito importante sabermos como começar e confiar num terapeuta com bases e experiência no seu uso, consumo e aplicação. Só quando estudei a Aromaterapia é que entendi na totalidade que é uma área com muito que se lhe diga e que pode trazer perigos à saúde quando não aplicada com cuidado e respeito. Tudo o que fazemos deve ser ponderado. Sabias, por exemplo, que o óleo essencial de canela pode ser abortivo? Ou que o óleo de hortelã-pimenta não é aconselhado a hipertensos? Ou que existem óleos essenciais que podem ser usados puros na pele, caso não seja por uma pessoa com pele hipersensível, e outros que jamais podem ser usados puros? Sabias que alguns óleos podem ser ingeridos via oral, outros podem ter aplicações via retal, outros via vaginal, outros usados topicamente e outros por inalação?

A Cura do Corpo Como um Todo

Photo: Florescer

O que mais me fascina nas terapias holisticas é defenderem que não existe apenas o tratamento, mas sim a prevenção! Que os sintomas não são a doença, mas que ela tem uma ou várias causas. Fascina-me o principio de que devemos cuidar do corpo como um todo e em conjunto com a mente e o espirito pois todos eles estão conectados. Aliás, muitas das doenças têm como causa o desequilíbrio do foro psicológico e emocional. Tens noção disto? Tens noção que os teus hábitos, o teu ambiente, as tuas emoções, etc, ditam a tua saúde? Quanto mais aberto fores a novas possibilidades, aprendizagem, experiências, informação, perspectivas, etc, mais rica e fácil se torna a tua caminhada. A abertura traz evolução do nosso ser e amplitude do nosso cérebro. É verdadeiramente maravilhoso quando permites. Estás pronto?

Alguns livros foram muito úteis nesta minha jornada…

Viver de forma mais natural e, principalmente, consciente, não é fácil. Devia ser, de tão simples que é. Contudo, estamos tão formatados em e para não o ser, que se torna difícil e complexo desvincular, desapegar e cortar com certas crenças e padrões no nosso dia-a-dia. Eu bem sei. Ainda hoje tento “limpar-me” a cada dia do que não me serve, pois vem sempre ter comigo de uma forma ou de outra. Mas tenho duas ferramentas gratuitas e que às quais posso recorrer sempre que quiser: o perdão e a gratidão. E o resto faço da melhor forma que posso e respeitando o meu ser o melhor que sei. Pois, no fundo, é disso que a medicina natural se trata: da natureza, do nosso ser, da nossa essência e do respeito que temos por ela e pelo que nos rodeia de mais puro. É dela que somos feitos. Só faz sentido viver em comunhão e em harmonia com o planeta que pisamos e habitamos. Somos seres humanos, seres vivos… Estamos cá para SER.

Sê bem-vindo ao Hearth Care ! Visita este novo lugar de partilha, aprendizagem, cuidado e evolução!

Se estás pronto para caminhar em frente, contacta-me e eu ajudar-te-ei, caminhando a teu lado. Estou orgulhosa de ti e confio no teu poder como ser. Tens tanto ao teu alcance para seres a tua versão saudável, rica e feliz.

Até breve

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Digite acima o seu termo de pesquisa e prima Enter para pesquisar. Prima ESC para cancelar.

Voltar ao topo